Banco do Brasil supera expectativas e lucra mais de 45% no 3º trimestre; Veja os números

Com um lucro de R$ 5,1 bilhões, o Banco do Brasil destaca que o resultado foi positivo devido ao aumento de receitas e menores provisões para cobrir calotes

Victor Meira | victor@jcconcursos.com.br
Publicado em 09/11/2021, às 09h34

Resultado Financeiro Banco do Brasil
Resultado Financeiro Banco do Brasil

Na última segunda-feira (08), o Banco do Brasil divulgou o resultado financeiro do 3º trimestre de 2021. O BB registrou um lucro de R$ 5,1 bilhões, um aumento 47,6% se comparado com o mesmo período do ano passado. De acordo com os economistas do banco estatal, o desempenho acima das expectativas foi impulsionado pelo aumento de receitas e por menores provisões (reserva para cobrir eventuais inadimplências. 

No acumulado de 2021, o Banco do Brasil atingiu a marca de R$ 15,1 bilhões em lucros, crescimento de 48,1% em relação a 2020. A projeção do lucro líquido de 2021 foi ajustado para uma faixa entre R$ 19 bilhões e R$ 21 bilhões, contra previsão anterior de R$ 17 bilhões a R$ 20 bilhões.

A carteira de crédito ampliada do banco somou R$ 814,2 bilhões em setembro, alta de 6,2% em relação ao fim de junho e de 11,4% em relação a setembro de 2020. A carteira apresentou crescimento em todos os segmentos, com destaque para as operações com o agronegócio (+18,5%); micro, pequenas e médias empresas (+24,6%) e pessoas físicas (+14,2%).

No relatório, o BB destaca que o desempenho é explicado por menores despesas com provisões de crédito, receitas mais altas, crescimento da margem financeira bruta, aumento das rendas com prestações de serviços e a estabilidade de custos administrativos. 

As receitas com a prestação de serviços somaram R$ 7,4 bilhões, crescimento de 2,2% em relação ao 3º trimestre de 2020. Os principais destaques foram as receitas de linhas de seguros, previdência e capitalização (+6%), de consórcios (+11,7%) e de administração de fundos (+9,9%). Nos nove meses do ano, o crescimento somou 1%, dentro do intervalo das projeções corporativas.

As despesas administrativas somaram R$ 7,9 bilhões no terceiro trimestre, alta de 0,7% em relação ao segundo trimestre, por causa do reajuste salarial de 10,97% concedido aos bancários no acordo coletivo de trabalho. Na comparação em nove meses, as despesas ficaram estáveis (+0,2%), mantendo-se dentro do intervalo das projeções corporativas de 2021.

*com informações da Agência Brasil

+++Acompanhe as principais informações sobre as empresas públicas no JC Concursos

Comentários

Mais Lidas