MenuJC Concursos
Busca
Notícias | | Aulas Grátis | Provas anteriores | Simulados | Empregos | Brasil

Governo zera imposto de importação para conter inflação. Veja o que fica mais barato

Para conter disparada da inflação em abril de 2022, o governo zera imposto de importação de 11 produtos; saiba o que pode ficar mais barato

Jean Albuquerque | redacao@jcconcursos.com.br
Publicado em 11/05/2022, às 18h14 - Atualizado às 18h21

Um homem arruma mercadorias em seção de um supermercado
Um homem arruma mercadorias em seção de um supermercado - Divulgação - Governo zera impostos de importação para conter inflação
WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmail

A alta de preços no país, que registrou 1,06% no mês de abril, segundo dados do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgados nesta quarta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para tentar frear a disparada de preços, o governo zera imposto de importação para conter inflação. Saiba o que pode ficar mais barato. 

O IPCA registrou o maior índice em 26 anos, desde 1996, o que representa um indicador acima do que era esperado pelo mercado financeiro, quando estimou um aumento de 1%. Ao comparar os dados da inflação acumulada nos últimos 12 meses, o IPCA chega a atingir 12,13%, a maior marca desde outubro de 2003. 

+++ Saiba quais são os vilões da inflação recorde registrada em abril; veja

Governo zera imposto de importação para conter inflação

O Ministério da Economia reduziu a zero os produtos alimentícios da cesta básica e da construção civil. A medida foi aprovada nesta quarta-feira (11) pela Câmara de Comércio Exterior (Camex), uma renúncia fiscal que chega a ser estimada em R$ 700 milhões.

Segundo o secretário-executivo do Ministério da Economia, Marcelo Guaranys, a medida de zerar o imposto sobre a importação trata-se de uma tentativa para conter a disparada da inflação, que diminui cada vez mais o poder de compra dos trabalhadores.  

Veja os produtos que podem ficar mais barato 

Segundo a medida, 11 produtos tiveram o imposto zerado, são eles: carne de boi, carne de frango, farinha de trigo, bolachas e biscoitos, itens de padaria, milho e aço.

Guaranys chegou a afirmar que as medidas “não revertem inflação, mas empresários pensam duas vezes antes de aumentar os preços dos produtos”.

De acordo com o subsecretário de Inteligência e Estatísticas de Comércio Exterior da Secretaria de Comércio Exterior, Herlon Alves Brandão, em entrevista ao portal Metrópoles, o prazo final para reduções vai até 31 de dezembro de 2022, gerando uma renúncia fiscal de R$ 700 milhões.

O Ministério acredita que o aumento de preços está relacionado aos problemas enfrentados pela cadeia produtiva global. Os motivos incluem restrições impostas pela pandemia, a guerra na Ucrânia e a valorização do petróleo nos mercados internacionais.

Saiba como ficou a taxa dos produtos após a insenção

  • Carnes desossadas de boi congeladas: de 10,8% para zero
  • Pedaços de frango: de 9% para zero
  • Farinha de trigo: de 10,8% para zero
  • Trigo: de 9% para zero
  • Bolachas e biscoitos: de 16,2% para zero
  • Outros itens de padaria e pastelaria: de 16,2% para zero
  • Produtos do aço, vergalhão CA 50 e CA 60: de 10,8% para 4%
  • Ácido sulfúrico: de 3,6% para zero
  • Mancoseb (fungicida): de 12,6% para 4%
  • Milho em grãos: de 7,2% para zero

+++ Acompanhe as principais informações sobre Sociedade e Brasil no JC Concursos

Siga o JC Concursos no Google News e acompanhe nossos destaquesSociedadeBrasil
Voltar ao topo

+Mais Lidas

JC Concursos, o seu Jornal dos Concursos de sempre. Imparcial, independente, completo.