MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | Sociedade | youtube jc | WEBSTORIES

Salário do funcionário deve ser compatível com lucro da empresa, afirma ministro do Trabalho

O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, fez um apelo às empresas para que promovam reajuste salarial. Ele ressaltou que o salário do funcionário deve reflitir a lucratividade

Várias notas de cem e cinquenta reais
Várias notas de cem e cinquenta reais - Divulgação
Mylena Lira

Mylena Lira

redacao@jcconcursos.com.br

Publicado em 11/12/2023, às 22h36

WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmailGoogle News

Nesta segunda-feira (11), o ministro do Trabalho, Luiz Marinho, fez um apelo às empresas para que reavaliem a estrutura de remuneração oferecida aos trabalhadores. O salário do funcionário deve ser compatível com os lucros obtidos, conforme declaração feita durante o lançamento do Pacto Nacional pela Inclusão Produtiva das Juventudes.

Marinho destacou a importância de refletir sobre a precariedade do mercado de trabalho. Apesar da redução no número de desempregados, o ministro alertou que muitos trabalhadores ocupam vagas com remunerações que variam entre R$ 1,5 mil e R$ 1,7 mil. 

Ele fez um chamado às empresas para que ajustem os salários oferecidos de acordo com os patamares de lucratividade. "A gente também deixa uma reflexão para as empresas pensarem a sua estrutura de salários, se está adequada ao seu nível de lucratividade, se estão compatíveis os ganhos com pagar um salário melhor", frisou.

+São Paulo tem mais de 15 mil vagas de empregos abertas em 500 profissões

Pacto Nacional pela Inclusão Produtiva das Juventudes

O Pacto Nacional pela Inclusão Produtiva das Juventudes, uma iniciativa conjunta do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), visa estabelecer compromissos para governos, empresas, sindicatos e o terceiro setor agirem em conjunto pela inclusão produtiva da juventude.

O Unicef destaca que o Brasil enfrenta um momento de redução do percentual de jovens na população. Segundo a entidade, durante duas décadas o país teve mais de 50 milhões de jovens entre 15 e 29 anos de idade. Porém, em 2022, a população com mais de 30 anos já superou a dessa faixa etária.

Dados do MTE revelam que apenas 14% dos jovens desempenham atividades técnicas qualificadas, enquanto a maioria ocupa funções informais, como operador de telemarketing, vendedor e motorista de aplicativo.

O presidente do Conselho Nacional da Juventude, Marcos Barão, ressaltou a necessidade de atenção a esses dados e a implementação de medidas concretas para reverter a situação.

"É um futuro muito indesejável, eu garanto isso. É um futuro em que o Brasil envelhece antes de prosperar. E o resultado é pobreza, é violência, é aprofundamento das desigualdades, inclusive todas as empresas aqui presentes vão perder. Todo mundo perde", alertou Barão.

A inclusão dos jovens, segundo Barão, demanda a abordagem de temas que vão além da simples capacitação profissional, envolvendo questões como:

  • trabalho digno
  • educação
  • cidadania
  • saúde mental
  • território

+Ônibus de graça liberado: São Paulo anuncia data de início do passe livre

Cerca de 16 empresas são criadas por dia no Brasil

Em um cenário de crescimento no empreendedorismo, dados da Serasa Experian revelam que em agosto deste ano foram abertos 367.339 novos registros de CNPJs no Brasil, uma média de 16 empreendimentos por dia útil. A categoria de serviços foi a mais escolhida para iniciar um novo empreendimento, superando os segmentos de comércio e indústria.

Os microempreendedores individuais (MEIs) representaram a maioria das novas empresas criadas, com 271.531 registros, seguidos por sociedades limitadas (76.942) e empresa individual (10.196). Entre o estado de fundação, São Paulo liderou a criação de novos CNPJs, com 110.212 registros em agosto, seguido por Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná.

O economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, destacou que o atual cenário de diminuição do desemprego impulsiona a criação de empresas, diante da inclinação empreendedora e da busca por flexibilidade e independência.

"Uma parcela significativa dos cidadãos brasileiros nutre o desejo de empreender, buscando não apenas flexibilidade e independência, mas também realização pessoal e a construção de um legado", observou Rabi.

Como pedir aumento de salário?

É natural que o salário do funcionário fique defasado com passar dos anos e, ao longo da sua carreira, almeje um reconhecimento financeiro condizente com seu esforço e contribuições. Pedir um reajuste salarial, porém, pode ser uma tarefa delicada para muitos, mas, com a abordagem certa, as chances do sim aumentam. Veja algumas dicas para guiá-lo nesse processo:

1. Faça sua pesquisa: Antes de iniciar a conversa, pesquise a média salarial na região para o seu cargo e nível de experiência. Ter informações concretas sobre o mercado ajudará a embasar sua solicitação.

2. Escolha o momento adequado: Opte por um momento estratégico, como após a conclusão bem-sucedida de um projeto significativo ou durante avaliações de desempenho. Isso demonstra que você valoriza a empresa e deseja crescer junto com ela.

3. Prepare uma justificativa sólida: Estruture seus argumentos de forma clara e objetiva. Destaque suas realizações, responsabilidades adicionais assumidas e como contribuiu para o sucesso da empresa. Mostre como sua performance impactou positivamente nos resultados.

4. Apresente evidências tangíveis: Forneça números, estatísticas ou feedback positivo de colegas e superiores para respaldar seus argumentos. Documentar suas conquistas ajuda a tornar sua solicitação mais convincente.

5. Seja proativo(a): Além de enfatizar suas conquistas passadas, mostre interesse no futuro. Discuta como você planeja contribuir ainda mais para os objetivos da empresa e como um aumento salarial motivará seu desempenho.

6. Demonstre flexibilidade: Esteja aberto a negociações. Se a empresa não puder conceder o aumento integralmente, esteja preparado(a) para discutir benefícios adicionais, como treinamentos, flexibilidade de horários ou outros incentivos.

7. Pratique a comunicação eficaz: Treine sua abordagem com antecedência para garantir que você transmita suas ideias de maneira clara, confiante e respeitosa. Evite ser defensivo e mantenha o foco nos aspectos profissionais.

8. Esteja ciente do mercado: Mantenha-se atualizado sobre as tendências do mercado, novas tecnologias e habilidades em demanda. Isso mostra que você está investindo em seu desenvolvimento contínuo.

9. Considere outras formas de remuneração: Se um aumento salarial direto não for possível, explore outras opções, como bônus por desempenho, participação nos lucros ou benefícios adicionais.

10. Mantenha uma postura profissional: Independentemente da resposta, mantenha uma postura profissional. Agradeça pela consideração e esteja preparado para continuar contribuindo de maneira positiva.

+++Acompanhe as principais notícias sobre Sociedade no JC Concursos.

Siga o JC Concursos no Google NewsSociedadeBrasil

JC Concursos - Jornal dos Concursos. Imparcial, independente, completo.