Servidores públicos tiveram 16 mil dados vazados no 2º trimestre de 2021

Apesar dos números serem altos, o relatório indicou uma queda de 99% dos vazamentos de dados dos servidores públicos entre o 1º e o 2º trimestre de 2021

Victor Meira - victor@jcconcursos.com.br
Publicado em 22/11/2021, às 09h53

Servidores Públicos - Vazamento de Dados
Servidores Públicos - Vazamento de Dados - JC Concursos

Em reportagem divulgada pelo portal UOL, um levantamento promovido pela empresa Axur, referência em monitoramento, detecção e derrubada de riscos digitais, apontou que os dados pessoais de 16 mil servidores públicos federais, estaduais e municipais foram expostos em 2021.

O relatório corresponde com informações do período de julho a setembro de 2021. Segundo o estudo, o Brasil teve 2,03 milhões de dados expostos dos seus servidores.

O levantamento indica que os servidores usaram o login e senha corporativos em sites que pediam algum tipo de cadastro. Com isso, eles acabaram expondo os seus dados, como CPF, email, cartões de crédito corporativos, ou por vazamento direto do próprio órgão público em que atua. 

Ainda que o número seja elevado, ele representa uma queda de 99,56% em comparação ao segundo trimestre de 2021, quando houve um vazamento de 465,5 milhões de dados. 

Em relação ao vazamento de credenciais governamentais, a queda também foi expressiva, com 95,97%. No segundo trimestre, foram 160 mil senhas e logins. O relatório não informa quais órgão tiveram ou vazaram os seus dados. 

O líder de inteligência e ameaças da Axur, Eduardo Schultze, argumenta que os órgãos têm protocolos rígidos de segurança e que o número apresentado pelo estudo não representa uma ameaça. 

“O problema é que as pessoas usam contas de e-mail corporativas para se cadastrar em diversos sites. Por exemplo, um funcionário acessa um site de venda de sapatos e se cadastra com seu e-mail corporativo, caso ocorra um ataque ou vazamento contra esse site, esse dado será vazado, não significando necessariamente que o órgão possui uma fragilidade ou foi propriamente invadido”, explica Schultze.

O líder Axur complementa que a facilidade de expor os dados é consequência das pessoas utilizarem a mesma senha para ingressar em diversos serviços online. Portanto, se uma senha é vazada, os criminosos têm maiores chances de invadir um sistema.

+++Acompanhe as principais informações sobre o funcionalismo público no JC Concursos

Comentários

Mais Lidas