MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | Sociedade | youtube jc | WEBSTORIES

Tesouro Direto: tudo o que você precisa saber para começar a investir e lucrar

Investir no Tesouro Direto pode ser uma excelente opção para quem busca uma alternativa segura e com menor risco. É possível começar a investir com apenas R$ 30,20

Várias notas de reais
Várias notas de reais - Divulgação
Mylena Lira

Mylena Lira

redacao@jcconcursos.com.br

Publicado em 28/09/2023, às 17h31

WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmailGoogle News

Investir no Tesouro Direto pode ser uma excelente opção para quem busca uma alternativa segura e com menor risco. O número de investidores cadastrados cresceu substancialmente em agosto deste ano, em relação a agosto de 2022, com um aumento de 468.954 investidores, totalizando 25.475.824 pessoas cadastradas. 

O estoque total do Tesouro Direto atingiu R$ 121,6 bilhões no final do mês passado, um aumento de 1,4% em relação ao mês anterior e um impressionante crescimento de 23,8% em comparação com agosto do ano anterior. 

O Tesouro Nacional oferece títulos públicos a pessoas físicas com condições vantajosas e, para ajudar você a dar os primeiros passos nesse mundo dos investimentos, o JC Concursos compilou as principais informações divulgadas pelo Tesouro Nacional. Confira:

Quais são os requisitos básicos para investir no Tesouro Direto?

Para investir no Tesouro Direto, você só precisa ter um Cadastro de Pessoa Física (CPF) e uma conta em uma instituição financeira habilitada ao Tesouro Direto.

Como investir em Títulos Públicos no Tesouro Direto?

Para adquirir títulos públicos no Tesouro Direto, é necessário ter uma conta em uma instituição financeira habilitada, como um banco ou uma corretora. Você pode realizar esse processo totalmente online, sem sair de casa, na página oficial do Tesouro Direto.

Após a abertura da conta, você receberá uma senha provisória enviada pela B3 para o e-mail informado. No primeiro acesso, será necessário criar uma nova senha com entre 8 e 16 dígitos, contendo letras, números e caracteres especiais.

O login é o seu CPF, e é importante mantê-lo em sigilo. Essa senha permitirá o acesso à área exclusiva do site do Tesouro Direto, onde você poderá realizar investimentos, resgates e consultar saldos.

Mudanças nas informações cadastrais podem ser solicitadas à sua Instituição Financeira, enquanto o endereço de e-mail e a senha podem ser alterados diretamente na plataforma do Tesouro Direto.

Lembre-se de que, dependendo das políticas do seu banco ou corretora, os investimentos podem ser realizados apenas em seus sites, mas o acesso à área exclusiva do Tesouro Direto estará disponível para consultas.

Qual é o horário de funcionamento?

As aplicações e os resgates podem ser feitos nos dias úteis, em horário comercial, das 9h30 às 18h, com os preços e taxas operados no momento da transação. Fora desse horário e nos finais de semana ou feriados, os preços e taxas no site do Tesouro Direto são apenas para referência. Você ainda pode realizar investimentos e resgates, mas serão considerados os preços e taxas do próximo dia útil.

Nos dias úteis, das 5h às 9h30, o sistema fica em manutenção. Para consultas apenas, porém, você pode acessar o site do Tesouro Direto a qualquer momento. Para sua segurança, os investimentos e resgates podem ser suspensos ao longo do dia para alinhar os preços e taxas dos títulos com o mercado.

Quais são os Títulos Públicos disponíveis?

Atualmente, existem três opções de títulos do Tesouro Prefixado, dois do Tesouro Selic, seis do Tesouro IPCA+, oito do Tesouro Renda+ e 15 títulos do Tesouro Educa+. Esses dois últimos foram lançados neste ano e são destinados a complementar a aposentadoria e a investir nos estudos, respectivamente. Saiba mais sobre cada um aqui.

A lista completa dos títulos que podem ser comprados atualmente pode ser consultada aqui. Na página, é possível simular o investimento, com previsão do retorno financeiro, antes de optar por um deles. Abaixo, listamos alguns que podem ser adquiridos:

TESOURO PREFIXADO 2026

  • Rentabilidade anual: 10,85%
  • Investimento mínimo: R$ 31,69
  • Preço Unitário: R$ 792,48
  • Vencimento: 01/01/2026

TESOURO PREFIXADO 2029

  • Rentabilidade anual: 11,60%
  • Investimento mínimo: R$ 33,78
  • Preço Unitário: R$ 563,01
  • Vencimento: 01/01/2029

TESOURO PREFIXADO com juros semestrais 2033

  • Rentabilidade anual: 11,86%
  • Investimento mínimo: R$ 37,06
  • Preço Unitário: R$ 926,55
  • Vencimento: 01/01/2033

TESOURO SELIC 2026

  • Rentabilidade anual: SELIC + 0,0376%
  • Investimento mínimo: R$ 138,63
  • Preço Unitário: R$ 13.863,21
  • Vencimento: 01/03/2026

TESOURO SELIC 2029

  • Rentabilidade anual: SELIC + 0,1532%
  • Investimento mínimo: R$ 137,61
  • Preço Unitário: R$ 13.761,71
  • Vencimento: 01/03/2029

TESOURO IPCA+ 2029

  • Rentabilidade anual: IPCA + 5,74%
  • Investimento mínimo: R$ 30,33
  • Preço Unitário: R$ 3.033,48
  • Vencimento: 15/05/2029

TESOURO IPCA+ 2035

  • Rentabilidade anual: IPCA + 5,84%
  • Investimento mínimo: R$ 42,97
  • Preço Unitário: R$ 2.148,50
  • Vencimento: 15/05/2035

TESOURO IPCA+ 2045

  • Rentabilidade anual: IPCA + 5,98%
  • Investimento mínimo: R$ 35,56
  • Preço Unitário: R$ 1.185,63
  • Vencimento: 15/05/2045

TESOURO IPCA+ com juros semestrais 2032

  • Rentabilidade anual: IPCA + 5,75%
  • Investimento mínimo: R$ 42,49
  • Preço Unitário: R$ 4.249,48
  • Vencimento: 15/08/2032

TESOURO IPCA+ com juros semestrais 2040

  • Rentabilidade anual: IPCA + 5,89%
  • Investimento mínimo: R$ 42,30
  • Preço Unitário: R$ 4.230,67
  • Vencimento: 15/08/2040

TESOURO RENDA+ aposentadoria extra 2030

  • Rentabilidade anual: IPCA + 5,91%
  • Investimento mínimo: R$ 34,52
  • Preço Unitário: R$ 1.726,22
  • Vencimento: 15/12/2049

TESOURO RENDA+ aposentadoria extra 2035

  • Rentabilidade anual: IPCA + 5,96%
  • Investimento mínimo: R$ 38,54
  • Preço Unitário: R$ 1.284,90
  • Vencimento: 15/12/2054

TESOURO RENDA+ aposentadoria extra 2040

  • Rentabilidade anual: IPCA + 6,00%
  • Investimento mínimo: R$ 38,16
  • Preço Unitário: R$ 954,05
  • Vencimento: 15/12/2059

Quanto custa investir e resgatar?

O preço de investimento dos títulos públicos é calculado com base nas taxas do mercado na data de liquidação da compra. Atualmente, é possível começar a investir com apenas R$ 30,20.

Em caso de resgate antecipado, o preço é calculado pelo Tesouro Nacional com a aplicação de uma taxa chamada de spread sobre o preço de compra. Os preços de compra e venda estão disponíveis na Tabela de Preços e Taxas dos Títulos, e o Tesouro Nacional pode alterar os preços a qualquer momento.

+Bolsa Verde de R$ 600 começa a ser paga pelo Governo Federal; Veja beneficiários

Quais são as formas de investimento do Tesouro Direto?

Após o cadastro, você pode investir no Tesouro Direto de três formas:

  • Diretamente no site/app do Tesouro Direto, acessando o Portal do Investidor e negociando seus títulos públicos;
  • Diretamente no site/app da sua Instituição Financeira, se ela for um agente integrado com o Tesouro Direto. Isso permite investir e resgatar títulos públicos pelo site da mesma, em tempo real e com os mesmos preços e taxas do Tesouro Direto; e
  • Sua Instituição Financeira faz por você, mediante autorização. Nesse caso, você autoriza a instituição a negociar os títulos públicos em seu nome.

Quais são os limites de aplicação e resgate?

As aplicações tradicionais no Tesouro Direto devem ser múltiplas de 0,01 título ou 1%. Ao investir em um título público, você pode definir o valor da aplicação ou a quantidade de títulos desejada. Se informar o valor, o sistema ajustará automaticamente para a quantidade mais próxima de títulos múltiplos de 0,01, descontando as taxas de serviço, para respeitar o fracionamento dos títulos.

O limite máximo de investimento por pessoa é de R$ 1 milhão por mês. Esse limite se aplica à carteira de títulos adquirida durante o mês. Nos meses de vencimento e pagamento de juros de títulos já adquiridos, você pode investir mais, utilizando seu limite e o valor de resgate e juros dos títulos. Esse limite é flexibilizado se você optar por reinvestir os recursos no mês de vencimento das suas aplicações anteriores.

Como pagar pelas aplicações?

Após escolher a modalidade de investimento e selecionar os títulos, a aplicação será paga pela sua Instituição Financeira. Você deve transferir os recursos necessários para a conta indicada por ela, de acordo com os prazos e regras estabelecidos.

Caso o pagamento não seja efetuado após a confirmação da aplicação, você receberá uma advertência da Central de Custódia da B3 por e-mail. Na segunda ocorrência de não pagamento, você será suspenso por 15 dias, aumentando para 30 dias na terceira reincidência e 60 dias na quarta. Após 60 dias sem ocorrências, você deixa de ser considerado reincidente.

+Auxílio Gás sofre cortes do Governo Federal; Veja publicação oficial

Qual é o Prazo de Liquidação?

A liquidação é a etapa final do processo de investimento e resgate, que envolve a transferência da propriedade do título e o pagamento/recebimento dos fundos. Para aplicações realizadas em dias úteis, a liquidação ocorre a partir das 18h do 1º dia útil após a solicitação.

Para aplicações em finais de semana, feriados ou após as 18h em dias úteis, a liquidação começa a partir das 18h do 2º dia útil. Durante esse período, você pode consultar o estágio de liquidação por meio de protocolos na área exclusiva do site do Tesouro Direto.

Como resgatar?

O Tesouro Nacional garante liquidez diária aos seus títulos públicos adquiridos no Tesouro Direto, permitindo o resgate a qualquer momento durante os dias úteis, das 9h30 às 18h. Fora desse horário e nos finais de semana ou feriados, os resgates são processados com os preços e taxas de abertura do próximo dia útil.

O modelo de resgate é o PEPS (primeiro a entrar, primeiro a sair), visando a pagar a menor alíquota possível dentro do seu estoque de títulos. Para os títulos que pagam juros semestrais, a opção de resgate será suspensa 2 dias úteis antes do pagamento desses fluxos periódicos.

Lembre-se de que os títulos públicos são recomprados pelo Tesouro Nacional com base no preço de mercado no momento do resgate, o que pode afetar o retorno da aplicação.

Quais taxas são cobradas?

No Tesouro Direto, existem duas taxas:

  1. a taxa de custódia de 0,2% ao ano sobre o valor dos títulos, cobrada pela B3; e
  2. a taxa cobrada pela sua Instituição Financeira, que pode ser anual ou por operação e deve ser acordada com você. Para esclarecimentos sobre a taxa da sua Instituição Financeira, entre em contato com ela.

Imposto de Renda

Os impostos no Tesouro Direto incluem o Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) para resgates em menos de 30 dias e o Imposto de Renda (IR), que possui alíquota regressiva conforme o prazo do investimento. As alíquotas de IR são:

  • 22,5% para aplicações com até 180 dias
  • 20% para aplicações de 181 a 360 dias
  • 17,5% para aplicações de 361 a 720 dias
  • 15% para aplicações com prazo acima de 720 dias
  • Há também incidência de impostos sobre os rendimentos no resgate antecipado, pagamento de cupom de juros e vencimento dos títulos.

Onde consultar Saldos e Extratos?

Você pode consultar saldos e extratos dos seus títulos públicos a qualquer momento, acessando a área exclusiva do site do Tesouro Direto e selecionando a opção "EXTRATO CONSOLIDADO". O extrato reflete o preço de mercado dos títulos, que pode variar ao longo do tempo devido às condições do mercado e às expectativas das taxas de juros futuras.

Essas informações devem ajudar você a dar os primeiros passos no mundo dos investimentos no Tesouro Direto. Lembre-se de buscar orientação financeira e ler todas as informações disponíveis antes de tomar decisões de investimento.

+++Acompanhe as principais notícias no JC Concursos.

Siga o JC Concursos no Google NewsSociedadeBrasil

JC Concursos - Jornal dos Concursos. Imparcial, independente, completo.