Níveis médio e superior

Concurso Bacen (Banco Central): pedido de 260 vagas não supre 10% da defasagem

Presidente Jair Bolsonaro já assinou o decreto que prevê maior autonomia do órgão e concurso Bacen (Banco Central) pode avançar sem depender do Ministério da Economia

Camila Diodato
Publicado em 21/06/2019, às 11h34 - Atualizado em 02/07/2019, às 15h07

Edifício-Sede em Brasília
Divulgação

O pedido do concurso Bacen (Banco Central do Brasil, também conhecido BC ou BCB), em análise no Ministério da Economia, prevê um total de 260 oportunidades para o seu quadro de pessoal.

Mesmo com o acréscimo de 30 vagas para a carreira de técnico, que exige nível médio, a solicitação não supre nem 10% da defasagem de pessoal.

Levantamente recente aponta que o Banco Central possui 2.768 cargos vagos e a situação ainda pode ficar mais crítica, pois parte dos servidores está em fase de se aposentar.

A realização do concurso Bacen (Banco Central) é considerada importante devido ao déficit de pessoal e o órgão pleitea pela autorização em breve. Mas, ao mesmo tempo que há a expectativa do aval, está em trâmite um projeto de lei que garante maior autonomia na instituição.

Assinada pelo presidente Jair Bolsonaro em 11 de abril, a proposta cumpre uma das promessas de campanha do presidente. Ressalta que "é necessário consagrar em lei a situação de fato hoje existente, na qual a autoridade monetária goza de autonomia operacional e técnica para cumprir as metas de inflação definidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). 

Um das metas do governo Bolsonaro, segundo o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, é a "independência do Banco Central". Se isso ocorrer, significa que a instituição não dependerá de autorização por parte do Ministério da Economia.

Pedido do concurso Bacen

O pedido contempla 260 vagas, sendo 200 para a carreira de analista, 30 de procurador e 30 para técnico. 

Os postos de analista e procurador aceitam candidatos com formação superior em diversas áreas de atuação - neste caso, os vencimentos correspondem a R$ 16.286,90 e a R$ 17.788,33, respectivamente.

Vale ressaltar que as remunerações já incluem o valor do benefício-alimentação, que equivale a R$ 458 mensais.

Requisitos para técnico

Acrescentado recentemente ao pedido, o cargo continua exigindo apenas certificado de ensino médio emitido por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC) e oferece salário inicial de R$ 6.463,44.

A a lei 13.464 em julho de 2017, sancionada pelo então presidente Michel Temer, vetou a modificação no requisito para nível superior desta função. A justificativa foi uma “inconstitucionalidade formal, por configurar situação de impertinência temática ao objeto inicial da Medida Provisória, vedada segundo decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal em julgamento de Ação Direta de Inconstitucionalidade”.

Edital anterior para técnico e analista

Em 2013, o concurso Banco Central promoveu seleção com 500 vagas destinadas aos cargos de técnico e analista. Na ocasião, a banca organizadora foi o Cespe/UnB e a remuneração inicial oscilou entre R$ 5.158,23 e R$ 14.289,24.

A carreira de técnico apresentou 100 oportunidades e estava dividida entre as áreas de suporte técnico-administrativo e segurança institucional. A exigência era de ensino médio completo.

Destinado a profissionais de nível superior, o cargo de analista (400) estava distribuído em seis áreas de conhecimentos: análise e desenvolvimento de sistemas, suporte à infraestrutura de tecnologia da informação, política econômica e monetária, contabilidade e finanças, infraestrutura e logística, e gestão e análise processual.

O processo seletivo do concurso Bacen (Banco Central) constou de prova objetiva, teste discursivo e análise de títulos – este último apenas para analista. Depois, houve um programa de capacitação aos candidatos aprovados.

Todos os profissionais contratados pelo concurso foram lotados em Brasília (DF), Belém (PA), São Paulo (SP), Salvador (BA) e Porto Alegre (RS).

Seleção anterior para procurador

O concurso Bacen (Banco Central) publicado em agosto de 2013 contemplou 15 oportunidades na função de procurador. Do total de ofertas, 14 foram para Brasília e uma para Belém.

Também sob a organização do Cespe/UnB, o processo seletivo avaliou os concursandos por meio de teste objetivo, inscrição definitiva, provas discursivas, exame oral e análise de títulos.

Prova anterior Banco Central

Para auxiliar nos estudos, o JC Concursos liberou as provas anteriores do órgão, além dos gabaritos para consulta das questões aplicadas, para os cargos de técnico, analista e procurador, que foram realizadas pelo Cespe/Cebraspe, FCC e Cesgranrio. É importante avaliar se a organizadora será a mesma para o novo processo de seleção, direcionando a preparação para o estilo da banca.

Sobre Bacen - Banco Central

Criado pela lei 4.595, de 31 de dezembro de 1964, o Banco Central do Brasil (Bacen) é uma autarquia federal, vinculada ao Ministério da Fazenda, que tem por missão assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda e um sistema financeiro sólido e eficiente. Entre as suas atividades principais destacam-se: a condução das políticas monetária, cambial, de crédito, e de relações financeiras com o exterior; a regulação e a supervisão do Sistema Financeiro Nacional (SFN); e a administração do sistema de pagamentos e do meio circulante. O Banco Central atua também como Secretaria-Executiva do Conselho Monetário Nacional (CMN) e torna públicas as resoluções do CMN. A sede do Bacen fica em Brasília e as unidades do banco estão localizadas nos municípios de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Belém (PA), Fortaleza (CE), Recife (PE) e Salvador (BA).

Comentários

Mais Lidas