Iniciais até R$ 16,2 mil

Prefeitura SP: pedido de 100 vagas de fiscal é arquivado

Secretaria Municipal da Fazenda encaminhou pedido ao prefeito Bruno Covas para preencher 100 vagas. Para concorrer ao cargo, basta possuir curso de nível superior em qualquer área

Fernando Cezar Alves
Publicado em 13/08/2018, às 10h19

Quem pretende participar do novo concurso público da Secretaria Municipal da Fazenda de São Paulo, antiga Secretaria Municipal de Finanças, para o cargo de auditor fiscal municipal classe I deverá ter um pouco mais de paciência. Acontece que, de acordo com informações da assessoria de imprensa da pasta, o processo de autorização do certame foi arquivado, após passar pelo gabinete do secretário de finanças, em 30 de julho. O motivo é que a seleção não foi considerada prioridade este ano. De qualquer forma, a necessidade de pessoal existe e é grande a possibilidade de um novo pedido ser novamente apresentado no próximo ano.    A previsão inicial era de 100 vagas na carreira. Para concorrer é necessário possuir formação de nível superior e a remuneração inicial para fiscal ISS/SP, já considerando os complementos, chega a R$ 16.273,72. O total inclui remuneração básica inicial de R$ 2.243,46 e as parcelas variáveis, que correspondem à gratificação de produtividade fiscal individual, com limite de até R$ 8.648,79; e cumprimento de metas, com limite de até R$ 5.381,47, com jornada de trabalho de 44 horas semanais.

Último concurso para fiscal ISS/SP


O conteúdo concurso anterior para fiscal ISS/SP foi realizado em 2014. A oferta, na ocasião, foi de 98 vagas, sendo 80 para a área de gestão tributária e 18 para a área de tecnologia da informação. A banca organizadora, na ocasião, foi o Instituto Cetro.
A seleção foi composta de 240 questões objetivas, distribuídas por três provas com 80 cada, além de uma quarta prova, com uma redação sobre atualidades e três questões discursivas sobre legislação tributária e direito tributário.

Para a área de gestão, a primeira prova contou com questões sobre língua portuguesa (30), matemática, estatística  e raciocínio lógico (20) e direito tributário (30). Na segunda, legislação tributária municipal (45), direito constitucional (10), direito administrativo (15) e direito privado e penal (10). Finalmente, na última, administração pública (15), economia e finanças públicas (20), auditoria (10), informática básica (10), contabilidade geral (15) e contabilidade aplicada ao setor público (10).

Para a área de tecnologia da informação, na primeira foram abordados temas de língua portuguesa (30), matemática, estatística e raciocínio lógico (20) e direito tributário (30). Na segunda, legislação tributária municipal (45), direito constitucional (10), direito administrativo (15) e direito privado e penal (10). Por fim, na última, tecnologia da informação (60), administração pública (10), contabilidade geral (5) e contabilidade aplicada ao setor público (5).

Mais Lidas