Tudo Sobre

Concurso Língua Afiada

Das oito às doze

* por Prof. Cláudio Moreno



José Ricardo
Publicado em 27/04/2007, às 15h48

* por Prof. Cláudio Moreno


"A forma correta de escrever é "das 8h AS 12h" ou "das 8h ÀS 12h"? Ou as duas formas são corretas? Nesse caso o "a" está substituindo o até ou o para? Da mesma forma, pergunto: é "de segunda A quinta-feira" ou "de segunda À quinta-feira"? Um abraço e muito obrigado." Fabio Cezar Montibello - Jaraguá do Sul (SC) 

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _


Meu caro Fábio: como deves saber, a crase (assinalada, na escrita, pelo acento grave) é o encontro da preposição "A" com o artigo "A". Na tua pergunta, quando escreves "DAS 8h", fica claro que o artigo está presente (das é formado pela preposição de mais o artigo as); conseqüentemente, antes de 12h ele também deverá estar: " DAS 8h ÀS 12h" - com acento indicativo de crase. Se algum felizardo começa a trabalhar às 8h e encerra o batente às 12h, essa é a única maneira correta de escrever. Outra coisa bem diferente é "de oito a doze": "ele trabalha de oito a doze horas por dia" não se refere a "quando" ele começa e termina, mas sim a "quantas" horas de trabalho são cumpridas.

Com os dias da semana é um pouco mais sutil. Vamos examinar primeiro a construção "DE segunda A sexta-feira". O de aqui é apenas a preposição, pois o artigo feminino não está sendo usado antes de "segunda"; logo, antes de "sexta" também não estará, o que fica bem claro antes do masculino: "DE segunda A sábado".

Outra coisa é escrever "DA segunda À sexta-feira". Aqui, ao contrário, o "da segunda" mostra que o artigo está presente; conseqüentemente, "da segunda à sexta". Isso fica bem visível no masculino: "DA segunda AO sábado". Ambas as construções estão corretas; tu podes escolher entre elas, desde que não as mistures. Abraço. Prof. Moreno

P.S.: Um conselho: pára com esse mau hábito de tentar substituir a preposição "A" por outra (até, para, etc.). Eu sei que alguns gramáticos menores vivem recomendando este "recurso". É charlatanice! Preposições não se substituem; das 600.000 palavras de nossa língua, apenas umas vinte - repito: só perto de vinte! - são preposições. Tu achas que haveria a possibilidade de duas delas se equivalerem? Nem em dez milhões de anos.


* Cláudio Moreno é professor, escritor e doutor em Letras.

* Matéria extraída, na íntegra, do site Sua Língua (www.sualingua.com.br).

+ Resumo do Concurso Língua Afiada

Língua Afiada
Vagas: Não definido
Taxa de inscrição: Não definido
Cargos: Não definido
Áreas de Atuação: Educação
Escolaridade: Não definido
Faixa de salário:
Organizadora: www.saber.srv.br

+ Agenda do Concurso

26/04/2008 Divulgação do Resultado Adicionar no Google Agenda

Comentários

Mais Lidas