Procurando emprego? Confira mitos e verdades sobre os recrutadores

O InfoJobs, empresa de tecnologia para recrutamentos, selecionou os principais mitos e verdades sobre os bons recrutadores

Douglas Terenciano | douglas@jcconcursos.com.br
Publicado em 25/05/2021, às 10h25 - Atualizado às 10h33

Entrevista emprego
Entrevista emprego - Divulgação

Quem está em busca de uma oportunidade no mercado de trabalho já ouviu falar que muitos recrutadores são frios e intimidadores. Mas e o outro lado? Será que para ser um bom recrutador é preciso realizar entrevistas de maneira intimidativa ou forçando ser extrovertido? Na verdade, não existe nenhuma fórmula mágica para se consolidar nessa área, e muitas das coisas que circulam por aí não possuem nenhum embasamento. Por isso, o InfoJobs, empresa de tecnologia para recrutamentos, selecionou os principais mitos e verdades sobre os bons recrutadores.

"O perfil do profissional de recursos humanos sofre constantes mudanças, de acordo com as transformações do mercado corporativo. É claro que todas as experiências acumuladas, os cursos e treinamentos são fundamentais para que ele tenha bagagem e tenha um perfil de excelência. Porém, atualmente, é preciso ir além das vivências passadas e olhar para o futuro", afirma Nathália Paes, desenvolvimento de negócios do InfoJobs.

Deve ser extrovertido

Mito. Um dos mitos mais repetidos é que um bom recrutador deve ser extrovertido e construir relacionamentos facilmente. O importante não é sua capacidade de socialização, mas sim de ouvir e analisar. Portanto, um bom recrutador deve estar vigilante e prestar atenção ao que o candidato tem a dizer a fim de captar o perfil do profissional.

Muitas vezes, a introversão não é bem vista pelas empresas, mas na realidade essa característica não define as habilidades de um recrutador. Em todas as equipes, seja no setor de RH ou não, é comum a presença de pessoas mais extrovertidas e outras mais tímidas, e é assim que a empresa se desenvolve melhor.

Não deve apresentar empatia

Mito. Antigamente, muitas empresas consideravam que a empatia podia ter efeito negativo ao analisar e aprovar um candidato, no entanto, cada vez mais fica claro que a equipe de RH precisa ser empática e compreender as dificuldades do candidato. A forma de entender o mundo e os negócios mudou, agora é importante que as empresas mostrem seu lado mais humano. Além disso, a experiência do candidato possui grande impacto na marca empregadora e no desejo dos profissionais de ingressarem na marca, e a empatia também deve ser levada em consideração.

Capacidade de lidar com mudanças constantes

Verdade. Um bom recrutador deve estar sempre atento às mudanças tecnológicas e comportamentais que influenciam o mercado de trabalho. Por isso a importância de estimular treinamentos constantes para que todos se adaptem às mudanças do setor. Hoje no RH, por exemplo, é preciso aprender a usar softwares de recrutamento e gerenciamento pessoal para lidar com novos ritmos de trabalho e reaprender a ser um bom recrutador, à medida que processos se transformam.

Realizar entrevistas intimidadoras

Mito. A segurança do candidato não deve ser confundida com uma habilidade profissional a ser testada. Por isso, o recrutador deve promover uma entrevista amigável e tranquila. É necessário elaborar diferentes questões para analisar mais detalhadamente a experiência profissional do candidato e seu comportamento em pontos específicos, a fim de distinguir entre um candidato confiante e um capaz.

Trabalho colaborativo

Verdade. Como todos os departamentos, o RH deve trabalhar de forma colaborativa para atingir as metas. Dentro desse segmento, um bom recrutador compartilha a documentação, analisa em conjunto a tomada de decisões e desenvolve planos para gerenciar as estratégias implementadas. Embora muitas pessoas possam pensar que é um trabalho solitário, os gestores são uma equipe, cuja união garante resultados.

empregosvagas de emprego

Comentários

Mais Lidas