Governo sinaliza benefício de R$ 200 para substituir o auxílio emergencial

Com aumento de casos de coronavírus devido a segunda onda, governo Bolsonaro avalia a criação de um benefício pontual de três meses no lugar do auxílio emergencial

Redação
Publicado em 08/02/2021, às 10h36

None
Divulgação

Com o fim do auxílio emergencial em dezembro de 2020, o governo Bolsonaro planeja a criação de um novo programa social, o Benefício de Inclusão Produtiva. A expectativa é de que BIP seja pago nos próximos três meses com o valor de R$ 200. A informação foi divulgada pelo Blog do Camarotti, do jornalista Gerson Camarotti da Globo News.

Os beneficiários devem ser metade daqueles que receberam o auxílio emergencial em 2020, cerca de 30 milhões de pessoas. As pessoas que devem ser habilitadas são aquelas que não tem carteira assinada e nem recebem o Bolsa Família.

Além disso, também está em estudo um aumento transitório do valor médio do Bolsa Família. De acordo com os membros do governo, a ideia é deixar explícita a separação entre assistência social e benefício pontual para o trabalhador.

Os novos presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), já se reuniram com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para discutir a possibilidade de extender o auxílio emergencial em 2021. A justificativa para pagar novamente o auxílio é que a pandemia está em sua segunda onda.

Comentários

Mais Lidas