"Renda Cidadã será discutida somente após o segundo turno" afirma líder do governo

O governo já apresentou uma proposta inicial de financiamento do programa Renda Cidadã, mas não avançou por críticas do mercado financeiro e do Congresso Nacional

Redação
Publicado em 17/11/2020, às 10h53 - Atualizado às 15h06

None
Divulgação

Nesta terça-feira (17), o líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR), afirmou, no blog da jornalista Andréia Sadi da Globo News, que a Renda Cidadã será debatida somente após o segundo turno das eleições municipais. 

A intenção do governo federal é substituir o Bolsa Família e o Auxílio Emergencial pelo programa social Renda Cidadã. A proposta já foi apresentada, mas devido ao modelo de financiamento, o programa não avançou.

"O assunto do Renda Cidadã, se a gente vai ou não fazer, como e o que será feito, tudo vai ser decidido após o segundo turno. Se a gente fala agora o posicionamento vai tudo ser usado como eleitoral. É prudente deixar para depois, assim como as reformas“, disse Barros.

Ainda de acordo com informação Sadi, membros do governo Bolsonaro desejam uma solução com fim do auxílio emergencial, uma vez que ele promoveu um aumento na popularidade do presidente. No entanto, a equipe econômica argumenta que não é possível manter o pagamento do auxílio sem furar o teto de gastos.

Comentários

Mais Lidas