MenuJC Concursos
Busca
Notícias | | Aulas Grátis | Provas anteriores | Simulados | Empregos | Brasil

Taxa de juros mais cara? Copom se reúne pela primeira vez em 2022 nesta terça (01)

Com a manutenção dos índices de inflação alta, a tendência é de que o Copom eleve mais uma vez a taxa de juros

Victor Meira - victor@jcconcursos.com.br
Publicado em 01/02/2022, às 07h50 - Atualizado às 07h59

Copom se reúne para debater aumento na taxa básica de juros, a Selic
Copom se reúne para debater aumento na taxa básica de juros, a Selic - Agência Brasil
WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmail

Responsável pela definição da taxa básica de juros, a Selic, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central se reúne hoje (01) para discutir um eventual aumento nos juros. Caso isso aconteça, essa será a primeira vez em cinco anos que haverá uma Selic com dois dígitos. Entretanto, o anúncio da decisão será divulgado somente amanhã (02). 

Motivado pela alta inflação nos últimos meses, as principais instituições financeiras do Brasil estimam que a Selic suba de 9,25% para 10,75% ao ano. Se o cenário econômico continuar neste ritmo, o Boletim Focus do Banco Central, que é a expectativa do mercado financeiro quanto a economia, indica que até o final do ano a taxa de juros suba até 11,75% ao ano. 

Os próprios membros do Copom sinalizaram, na ata da última reunião, que a tendência era elevar a Selic em 1,5 ponto percentual aplicando uma política monetária contracionista devido a piora dos índices de preços. Desde setembro de 2021, os juros básicos são aumentados a cada reunião. 

+Taxa de juros dispara em instituições bancárias e alcança 24,4% ao ano

A tendência da taxa de juros nos últimos anos

Vale destacar que o manuseio da Selic é a principal ferramenta do Banco Central que tem o objetivo de controlar a inflação do país. Apesar deste ritmo intenso de aumento da taxa de juros, o Brasil ficou seis anos sem elevá-la. De julho de 2015 a outubro de 2016, a taxa permaneceu em 14,25% ao ano. Depois disso, o Copom voltou a reduzir os juros básicos da economia até que a taxa chegasse a 6,5% ao ano, em março de 2018.

Em julho de 2019, a Selic voltou a ser reduzida até chegar ao menor nível da história em agosto de 2020, em 2% ao ano. Começou a subir novamente em março do ano passado, tendo aumentado 7,25 pontos percentuais até agora.

O que é a Taxa Selic?

A taxa básica de juros é usada nas negociações de títulos públicos emitidos pelo Tesouro Nacional no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve de referência para as demais taxas da economia. É o principal instrumento do Banco Central para manter a inflação sob controle. O BC atua diariamente por meio de operações de mercado aberto – comprando e vendendo títulos públicos federais – para manter a taxa próxima do valor definido na reunião.

Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque juros mais altos encarecem crédito e estimulam a poupança. Desse modo, taxas mais altas também podem conter a atividade econômica. Ao reduzir a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

+Como negociar dívidas com o aumento de juros no Brasil? Veja dicas do Serasa

Entretanto, as taxas de juros do crédito não variam na mesma proporção da Selic, já que ela é apenas parte do custo do crédito. Os bancos também consideram outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como risco de inadimplência, lucro e despesas administrativas.

O Copom reúne-se a cada 45 dias. No primeiro dia do encontro, são feitas apresentações técnicas sobre a evolução e as perspectivas das economias brasileira e mundial e o comportamento do mercado financeiro. No segundo dia, os membros do Copom, formado pela diretoria do BC, analisam as possibilidades e definem a Selic.

*com informações da Agência Brasil

+++Acompanhe as principais informações sobre Sociedade e Brasil no JC Concursos

Siga o JC Concursos no Google News e acompanhe nossos destaquesSociedadeBrasil
Voltar ao topo

+Mais Lidas

JC Concursos, o seu Jornal dos Concursos de sempre. Imparcial, independente, completo.