Coesão e coerência textuais

Fala-se que um texto é coeso quando há conexão entre as palavras através de elementos formais que assinalam o vínculo entre os seus componentes

Redação
Publicado em 01/10/2013, às 09h44

Sandra Ceraldi Carrasco
Nos textos de toda ordem, há elementos invisíveis para uma pessoa que não tem habilidade com técnicas gramaticais e textuais, mas existem elementos dispersos na gama de letras e ideias que traduzem a compreensão e a clareza de entendimento entre as partes que compõem uma redação. A microestrutura textual é a parte interna do texto ligada à gramática e ao léxico. Por isso, o raciocínio exposto não pode apresentar lapsos, deslocamentos abruptos das informações e excesso incoerente de ideias. Já a macroestrutura textual é a relação lógica e harmônica entre as ideias ordenadas e interligadas de maneira clara, que formam uma unidade. Fala-se que um texto é coeso quando há conexão entre as palavras através de elementos formais que assinalam o vínculo entre os seus componentes. Para que um texto apresente coesão, devemos escrever de maneira que as ideias se liguem umas às outras, formando um fluxo lógico e contínuo. Quando um texto está coeso, sua leitura se dá com facilidade. A conexão entre vários enunciados não é, obviamente, fruto do acaso, mas sim das relações de sentido que existem entre eles, sobretudo, por certa categoria de palavras, denominadas conectivos ou elementos de coesão: preposições (a, de, para, por,...); conjunções (que, para que, quando, embora, mas, e, ou,...); pronomes (ele, sua, este, aquele, que, o qual, cujo,...); advérbios (aqui, lá, assim, aí,...); e vocabulário (sinônimo, hiperônimo, hipônimo e perífrase). A coerência trata da relação que se estabelece entre as diversas partes do texto, criando uma unidade de sentido. Está, portanto, ligada ao entendimento, à possibilidade de interpretação daquilo que se ouve ou lê. Para um texto ser coerente, é necessário que todas as ideias se amarrem textualmente, formando uma unidade que se prende ao título e ao tema. Os assuntos discutidos devem ser concordantes e articulados conforme a necessidade de seu autor na exposição do assunto abordado. Dessa forma, as remissões estão presentes para auxiliar a coerência. Veja algumas remissões: Remissão anafórica referencial: ocorre por meio de pronomes em geral, além de outras palavras. 
Exemplos:Os Titulares do 1º Distrito Policial e a 2ª Delegacia Seccional de Polícia foram homenageados: esta, porque desvendou crimes sérios contra o patrimônio; aquele, prendeu o maior estuprador de todos os tempos.Rio de Janeiro é uma cidade onde possui muitos casos de homicídio.Há muitos policiais escritores cujas obras lemos com prazer.Tenho várias tarefas a cumprir, isso é importante para a elucidação do crime.Remissão anafórica sequencial: estabelece relações lógicas entre as ideias do texto. Para tanto, utilizamos os chamados colaboradores textuais (conjunções). Exemplos:Ela é muito estudiosa, por isso passou no concurso. (consequência, conclusão)Ela conseguiu a aprovação, já que é muito estudiosa. (causa)Paulo se preparou para o concurso, porém, no dia da prova, acidentou-se. (oposição)Você pode ter êxito nos concursos, desde que estude com afinco. (condição)
Remissão anafórica lexical: permite evitar a repetição de palavras e, também, unir partes de um texto. Pode ser alcançada utilizando-se sinônimos, hiperônimos, hipônimos e perífrases.O presidente do clube afirmou que o time tem todas as condições para ganhar o campeonato. Segundo o dirigente, o troféu já está reservado. (sinônimo)Ana estava na poltrona do cinema esperando o filme começar, quando, de repente, no assento da frente, uma pessoa passou mal. (hiperônimo e hipônimo)A vigilância policial nos estádios de futebol é necessária, pois as torcidas às vezes agem com violência. Na verdade, não é mais possível a realização de qualquer campeonato sem a presença de profissionais treinados para garantir não só a ordem, mas também proteger a segurança dos cidadãos que desejam acompanhar o jogo em tranquilidade. (perífrase)
Observação: 
Hiperônimo tem sentido abrangente e pertence ao mesmo campo semântico. A palavra animal está associada a todas as espécies de animais: mamífero etc. Hipônimo tem sentido mais restrito que os hiperônimos, ou seja, hipônimo é um vocábulo mais específico. Exemplo: mamífero.
Exemplos:meios de transporte (hiperônimo): ônibus (hipônimo);casa (hiperônimo): cozinha (hipônimo);profissão (hiperônimo): médico (hipônimo);doença (hiperônimo): câncer (hipônimo).
Professora Sandra Ceraldi Carrasco, consultora e especialista em língua portuguesa, autora de livros e periódicos na área. Há mais de 20 anos ministra cursos e palestras, com índice recorde de aprovação. Seu mais recente trabalho aborda de forma prática o Acordo Ortográfico. Atualmente é coordenadora do curso preparatório IPA. Contato: professora.sandracarrasco@uol.com.br.

Comentários

Mais Lidas