306 postos vagos

Concurso TJDFT é necessário para suprir alto déficit de pessoal

Sem concurso vigente, o TJDFT (Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios) pode iniciar logo os preparativos para organizar nova seleção

Camila Diodato
Publicado em 16/05/2019, às 12h02 - Atualizado em 24/06/2019, às 15h06

Fachada do TJDFT
Cespe/UnB

O concurso TJDFT (Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios) torna-se cada vez mais necessário, uma vez que a defasagem de pessoal do órgão aumentou nos últimos meses. Só para se ter uma noção, no final de 2018, havia um déficit de 285 servidores, mas o levantamento recente aponta que agora há 306 postos vagos.

A última seleção ocorreu em 2015 e teve sua validade encerrada em abril do ano passado. Como não há a possibilidade de convocação de remanescentes, a única maneira de repor a o déficit de servidores é abrir um novo processo seletivo.

Do total de chances que precisam ser preenchidas atualmente, 163 destinam-se à carreira de técnico e 143 para analista. Enquanto a primeira função exige ensino médio e/ou curso técnico, a outra aceita profissionais com formação superior completa.

Desde janeiro de 2019, o salário do analista passou a R$ 12.455,30 por mês, contando com a gratificação por atividade judiciária. Já o técnico começou a receber R$ 7.591,39, também incluindo o acréscimo.

Último concurso do TJDFT


O concurso público contemplou 80 vagas imediatas, além de cadastro reserva. Das ofertas disponibilizadas, 13 foram reservadas às pessoas negras ou portadoras de deficiência.

Candidatos com o nível médio puderam concorrer a técnico judiciário na área administrativa (35). Ensino médio e curso na área respectiva permitiram a inscrição ao posto de técnico judiciário nas áreas de apoio especializado – enfermagem (1) e apoio especializado – programação de sistemas (1). 

Profissionais graduados estavam aptos à carreira de analista judiciário nas seguintes áreas: apoio especializado – análise de sistemas (1); apoio especializado – biblioteconomia (1); apoio especializado – psicologia (1); apoio especializado – suporte em tecnologia da informação (1); apoio especializado – medicina/clínica médica (1); apoio especializado – medicina/ginecologia-obstetrícia (1); apoio especializado – medicina/neurologia (1); apoio especializado – medicina/pediatria (1); apoio especializado – medicina/psiquiatria (1); apoio especializado – odontologia/dentística (1); judiciária (31); e judiciária – oficial de justiça avaliador federal (2). 

Sob organização do Cespe/UnB, o concurso do TJDFT teve como triagem uma prova objetiva com 120 questões. Ainda houve uma avaliação discursiva para os participantes.

Comentários

Mais Lidas