Modelo híbrido de trabalho é tendência pós-vacinação, avaliam empresários

O cenário pós-pandemia e a retomada dos modelos tradicionais de trabalho voltaram a ser debatidos pelos empresários. Confira!

Douglas Terenciano | douglas@jcconcursos.com.br
Publicado em 16/07/2021, às 11h22 - Atualizado às 11h33

modelo híbrido
Divulgação

A pandemia de Covid-19 mudou o mercado de trabalho. De um dia para o outro, muitas empresas foram forçadas a mudar a rotina de seus funcionários e o modelo home office (trabalho remoto) foi adotado para continuar atendendo a demanda de serviço. Agora, com o avanço da vacinação, o cenário pós-pandemia e a retomada dos modelos tradicionais de trabalho voltaram a ser debatidos pelos empresários. O modelo híbrido surge como alternativa!

Recentemente, o tema foi o centro da live promovida pela Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro-PR), que teve Ricardo Calizotti, diretor da entidade, também sócio e diretor de Relacionamento da Inside Sistemas, como moderador.

"O home office foi necessário e o pós-vacina nos levará à análise necessária se este modelo permanecerá sendo seguido. É um grande desafio, uma vez que envolve também questões legais, que ainda são obstáculos", disse o presidente da entidade, Lucas Ribeiro.

Na medida em que a imunização acontece, os empresários vão definindo as estratégias de retomada. O modelo híbrido, formato com intervalos de permanência na empresa e em casa, é preferido pela maioria dos empresários e colaboradores, segundo pesquisas. Levantamento da consultoria de recrutamento Robert Half, por exemplo, mostra que 92% dos colaboradores são favoráveis ao formato. Estimativa qualitativa feita pela Associação de Marketing Promocional (Ampro) afirma que 56,7% das empresas esperam aderir ao modelo híbrido após a vacinação.

"Quando a pandemia chegou, rapidamente todos os nossos colaboradores adotaram o regime de home office. Objetivamos, inclusive, mudar para uma sede menor, com apenas 300 metros quadrados, seguindo o modelo híbrido, que é o que parece ser o mais interessante", apontou o CEO da ACOM Sistemas, empresa de tecnologia voltada ao setor de food service, Carlos Drechmer.

No ROIT BANK, accountech e fintech de Curitiba, o modelo híbrido também deverá ser adotado. "De três sedes, hoje estamos com apenas uma. Acho pouco provável que tenhamos 100% em home office, portanto, o híbrido será a solução mais eficaz", afirma Lucas Ribeiro.

A legislação do home office

Antes da Reforma Trabalhista de 2017, a única lei que tratava do home office era a de 2011, que previa os mesmos direitos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), mas não definia suas condições. "Há vários pontos que ainda precisam ser discutidos e isso preocupa", comenta Camila Weingartner, Head de RH do ROIT BANK. Diante deste cenário, conforme foi pontuado na live, os empresários vêm usando de bom senso ao discutir o melhor caminho com os funcionários, evitando brechas no acordo ou problemas trabalhistas. "As boas empresas têm se esforçado para cumprir esses requisitos, e a maioria delas certamente chegará a um modelo que seja adequado", complementa.

Camila trouxe a experiência ROIT. Colaboradores da accountech em casa recebem orientações para terem cuidado com a postura; também, cadeiras, mesas e outros materiais são fornecidos pelo ROIT BANK. Além disso, a empresa ajuda a pagar a internet da casa do funcionário.

Para cuidar do aspecto emocional, provocado essencialmente pela falta de convivência com os colegas, a empresa promove reuniões diárias com os times e, ao longo da semana/ano, há momentos para se jogar conversa fora e eventos sociais on-line, como a "pipocada" ou o happy hour das sextas-feiras.

"Além disso, todos os eventos que eram presenciais, agora são feitos de modo on-line, como festa junina, carnaval, festa de final de ano, halloween. É um desafio para o setor de Recursos Humanos, mas isso é importante para todos. A maioria gosta pela praticidade, não ter que pegar trânsito, poder estar perto da família. Sentimos que houve uma melhora na qualidade de vida dos colaboradores e na produtividade, e para a empresa, houve redução de custos", diz Camila.

Os desafios do trabalho remoto ou modelo híbrido

O trabalho remoto ou o modelo híbrido são alternativas que podem ajudar muitas empresas, mas requerem adaptação das empresas e dos funcionários. Cerca de 25% dos empregados ouvidos numa pesquisa da Workana reclamaram exatamente da falta de condições para manter o trabalho em casa. A ausência de espaço específico aparece em segundo lugar na lista de queixas, com 18,5% das opiniões.

Gerenciar a produtividade à distância também é um dos grandes desafios dos empresários, apesar dos ajustes e das inovações feitos ao longo de todo o período. Carlos Drechmer, da ACOM Sistemas, contou que teve dificuldades nos primeiros 90 dias de migração para o modelo.

"Tivemos perda de faturamento e reduzimos a jornada em 25%. Nos três meses iniciais não conseguimos medir a produtividade", disse. Hoje, as métricas foram refinadas e já garantem um relatório mais apurado ao empregador do que o seu funcionário faz longe de seus olhos, com modelos que apontam, aos empresários, as plataformas usadas e o período de permanência nelas.

O estímulo emocional que vem dos gestores também ajuda: reuniões, videoconferências e chamadas deixam o colaborador mais à vontade para levar suas demandas, o que melhora a comunicação e pode dar bons resultados no fim do mês. "Se a pandemia da Covid trouxe colapsos, o mercado de trabalho se esforça para caminhar em direção oposta", finaliza Lucas Ribeiro, da Assespro-PR.

Vagas abertas para trabalho remoto

A área de tecnologia segue com forte demanda de profissionais em todo o Brasil. Com possibilidade de trabalhar de maneira remota ou modelo híbrido, as empresas Cuponomia e Delivery Much estão com processos seletivos abertos oferecendo vagas em diversas áreas. Confira todos os detalhes!

O Cuponomia, portal que reúne cupons de desconto e cashback on-line, está com vagas abertas na área de tecnologia. As vagas oferecem oportunidades de trabalho em São José dos Campos, região do Vale do Paraíba, em São Paulo, mas, também para atuação remota, a partir de qualquer lugar do país.

Já a Delivery Much, aplicativo de delivery com foco no interior do Brasil, está com 29 vagas em aberto. A maioria das oportunidades é para o setor de tecnologia, mas também há posições para as áreas administrativa e financeira, comercial, marketing e operações, além de vaga para Jovem Aprendiz.

Confira todos os detalhes sobre as vagas de emprego na Cuponomia e Delivery Much na notícia específica sobre o processo seletivo.

empregos

Comentários

Mais Lidas