MenuJC Concursos
Busca
Notícias | | Aulas Grátis | Provas anteriores | Simulados | Empregos | Brasil

O que significa desmilitarizar a Ucrânia? Entenda as exigências da Rússia para o cessar fogo

Após oito dias de guerra, países se reúnem para um cessar fogo; saiba o que significa desmilitarizar a Ucrânia e entenda as exigências da Rússia

Jean Albuquerque | redacao@jcconcursos.com.br
Publicado em 03/03/2022, às 15h32

Militares ucranianos durante a guerra no país do Leste Europeu
Militares ucranianos durante a guerra no país do Leste Europeu - Divulgação - AFP
WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmail

Oito dias após o início da forte ofensiva militar do exército russo contra os ucranianos que já resultou em um milhão de refugiados, uma segunda rodada de negociações para o cessar fogo aconteceu na manhã desta quinta-feira (3). As delegações dos dois países se reuniram na fronteira com Belarus e Polônia. Entenda o que significa desmilitarizar a Ucrânia e as exigência da Rússia para acabar com a guerra na Ucrânia

Ontem (2) novas sanções foram aplicadas contra a Rússia e Bielorrúsia, além da condenação da Rússia em reunião extraordinária no conselho de segurança da ONU. As medidas restritivas que foram aplicadas pelos Estados Unidos impõem também restrições às importações de bens tecnológicos do principal aliado russo, a Bielorrúsia, cujo território tem sido usado pelo exército russo para promover ataques contra ucranianos. 

Afinal, o que significa desmilitarizar a Ucrânia? 

A Rússia tem o discurso de que o ataque deveria limpar o país do leste europeu dos “nazistas” e “neutralizar” o potencial militar de Kiev, o que significa desmilitarizar a Ucrânia. No plano do governo russo, inclui o país não mais receber armas de seus aliados ocidentais. 

Durante a reunião que propôs exigências para o cessar fogo do exército russo, entre os pontos discutidos está a criação de um corredor humanitário para que os civis ucranianos possam deixar o país. O presidente russo, Putin enviou cinco pessoas para a negociação, já a Ucrânia, no comando do presidente Volodymyr Zelensky, enviou seis pessoas. A negociação aconteceu um dia após a tomada de Kherson pelas tropas russas.

Entenda as exigências da Rússia para o cessar fogo

Além da cobrança em relação a desmilitarizar a Ucrânia, Moscou também exige o reconhecimento da Crimeia como território russo e a “desnazificação” do Estado ucraniano, bem como barrar a entrada do país do leste europeu na Otan, o que mantém a Ucrânia fora da aliança militar com o ocidente. Em março de 2014, a Crimeia foi tomada pelas tropas russas e anexadas ao país. No entanto, a comunidade internacional, principalmente os países ocidentais liderados pela Otan, não reconhecem a Crimeia como parte da Rússia. 

EUA impõem novas sanções contra Rússia e Bielorrúsia

De acordo com comunicado oficial da Casa Branca, os Estados Unidos irão tomar medidas para responsabilizar a Bielorrúsia por conceder a invasão da Ucrânia por Putin. As medidas têm como objetivo enfraquecer o setor de defesa russo e o seu poderio militar nos próximos anos, além de promover o ataque às fontes de riqueza da Rússia e banir as companhias russas de usar o espaço aéreo americano. 

Na noite de ontem (1) foi anunciado o fechamento do espaço aéreo dos EUA para aeronaves russas. O pronunciamento foi feito pelo presidente Joe Biden, durante discurso na sede do Congresso estadunidense, o Capitólio. Com a aplicação da medida, os Estados Unidos se somam a mais de 30 países que já fecharam o espaço aéreo para os russos. Veja sanções:

  • Bloqueio de 22 empresas russas do setor de Defesa
  • Restrições às exportações de tecnologia

O governo americano informou que os parceiros e aliados não têm interesse estratégico em reduzir o fornecimento global de energia. “Mas nós e nossos aliados e parceiros compartilhamos um forte interesse em degradar o status da Rússia como principal fornecedor de energia ao longo do tempo", informou. 

Rússia é condenada em reunião da ONU

Os países ligados à Organização das Nações Unidas (ONU) se reuniram em sessão extraordinária nesta quarta-feira (2) para votar sobre a condenação da Rússia por promover a guerra na Ucrânia. A resolução que não tem poder legal pede que a Rússia retire suas tropas do país do Leste Europeu, mas possui poder político e evidencia o isolamento russo. 

O secretário-geral da ONU, Antônio Guterres, falou sobre a resolução que condenou as fortes ofensivas militares na Ucrânia. Após a aprovação, o representante das Nações Unidas defende que a decisão repete uma verdade central: “o mundo quer o fim do sofrimento na Ucrânia". 

Das nações presentes na reunião, 141 países votaram a favor da resolução que condena a Rússia na guerra na Ucrânia, cinco votaram contra e 35 países se abstiveram. Neste caso, o Brasil votou a favor da condenação, já a China se absteve. 

Votaram contra a resolução: Rússia, Bielorrússia, Síria, Coreia do Norte e Eritreia.

+++ Acompanhe as principais informações sobre Sociedade e Brasil no JC Concursos

Siga o JC Concursos no Google News e acompanhe nossos destaquesSociedadeBrasil

Comentários

Voltar ao topo

+Mais Lidas

JC Concursos, o seu Jornal dos Concursos de sempre. Imparcial, independente, completo.