Defasagem crítica

Concurso INSS: com reforma da previdência, aumenta servidores em busca da aposentadoria

Novo concurso INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) torna-se imprescindível para evitar o alto déficit de pessoal e evitar que o atendimento entre em colapso

0,00(0.0%)0 voto(s)

Camila Diodato | camila@jcconcursos.com.br
Publicado em 02/09/2019, às 14h05 - Atualizado às 14h47

Concurso INSS: reforma da previdência e aposentadorias
Divulgação

Com o avanço da Reforma da Previdência no Congresso Nacional, o concurso INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) tornou-se ainda mais imprescindível. Tudo isso por conta da defasagem de pessoal e do comprometimento do atendimento da população.

Segundo dados do Ministério da Economia, em apenas sete meses, mais de 24 mil servidores públicos solicitaram a aposentadoria. Esse quantitativo inclui todos os órgãos do Poder Executivo Federal, incluindo o próprio INSS.

Caso todos os servidores peçam o benefício, o funcionalismo público ficará altamente defasado. No caso do instituto, a situação tende a ficar mais caótica, ainda mais que terá menos funcionários e não dará conta de atender todos assegurados, o que aumentará as filas e deixará o serviço mais moroso.

Aposentadoria no serviço público

A última grande procura por aposentadoria ocorreu no ano de 1995, com um pico de 36,8 mil, quando foi discutida uma reforma no governo do então presidente Fernando Henrique Cardoso.

Foi exatamente em 1995 que a proposta acabou sendo enviada, o que virou a primeira grande mudança nas regras de aposentadoria do país.

Nos anos seguintes, a situação normalizou e voltou a apresentar um pico em 2017, com mais de 22,4 mil, pois começaram as discussões da reforma durante o mandato do ex-presidente Michel Temer.

Defasagem no funcionalismo público

Se todos os funcionários públicos conseguirem o benefícios, além do INSS, outros outros terão de ter novos concursos para suprir a demanda de pessoal. Entre eles estão os com pedido em análise no Ministério da Economia, que você pode obter mais informações clicando no título de cada concurso abaixo:

E como fica o concurso INSS?

A realização do concurso INSS já virou ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF), enviada em 31 de julho e que obriga a contratação de pessoal em um prazo de 45 dias. Esse documento será discutido em uma audiência marcada para o dia 2 de outubro.

O órgão enfrenta uma das situações mais caóticas de sua história com uma defasagem de, no mínimo, 16 mil servidores, sem contar que metade do pessoal está em fase de se aposentar e, destes, uma parte deve solicitar a aposentadoria em breve.

Pedido do concurso INSS

Enviado ano passado ao antigo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG), o pedido solicitou 10.468 vagas ao seu quadro de pessoal, porém 2.580 eram para excedentes - que não foram convocados durante a validade do certame anterior, encerrada em 5 de agosto.

Das oportunidades destinadas à nova seleção, 3.984 são referentes ao cargo de técnico (área meio), 1.692 a analista (diversas formações) e 2.212 a perito.

Carreiras do quadro do INSS

O quadro do INSS compõe-se de três cargos: técnico do seguro social, analista do seguro social e perito médico previdenciário.

A carreira de técnico do seguro social é uma das mais visadas no concurso INSS, ainda mais que exige apenas ensino médio completo e apresenta salário inicial de R$ 5.344,87, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458.

O emprego de analista exige formação superior em diversas áreas de atuação (incluindo serviço social, administração, engenharia, direito, pedagogia, psicologia, comunicação, ciências sociais, arquitetura e letras, entre outras), sendo que a remuneração corresponde a R$ 7.954,09 por mês, contado o benefício alimentação.

Já a posição de perito destina-se aos profissionais com graduação em medicina e registro no respectivo conselho regional. O inicial é de R$ 8.988,41, também no auxílio.

+ O JC Concursos acompanha todas as novidades deste certame na página do concurso INSS.

Sobre INSS

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), autarquia federal com sede em Brasília (DF), vinculada ao Ministério da Previdência e do Trabalho, tem por finalidade promover o reconhecimento de direito ao recebimento de benefícios administrados pela Previdência Social, assegurando agilidade, comodidade aos seus usuários e ampliação do controle social. O INSS é responsável pelo pagamento da aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente e outros benefícios para aqueles que adquirirem o direito a estes benefícios segundo o previsto em lei. Compete ao INSS a operacionalização do reconhecimento dos direitos da clientela do Regime Geral de Previdência Social (RGPS), que atualmente abrange mais de 40 milhões de contribuintes.

O INSS possui em seu quadro administrativo quase 40.000 servidores ativos, lotados em todas as regiões do país, que atendem presencialmente mais de quatro milhões de pessoas. Conta com cerca de 1.200 unidades de atendimento, as chamadas Agências da Previdência Social (APS), presentes em todos os Estados da Federação. Trata-se de um mecanismo democrático, que ajuda a minimizar as desigualdades sociais. A renda transferida pela Previdência é utilizada para assegurar o sustento do trabalhador e de sua família quando ele perde a capacidade de trabalho por motivo de doença, acidente, gravidez, prisão, morte ou idade avançada. O INSS é uma organização pública prestadora de serviços previdenciários para a sociedade brasileira. É nesse contexto e procurando preservar a integridade da qualidade do atendimento a essa clientela que o instituto vem buscando alternativas de melhoria contínua, com programas de modernização e excelência operacional, ressaltando a maximização e otimização de resultados e de ferramentas que fundamentem o processo de atendimento ideal aos anseios da sociedade em geral.

O INSS tem a seguinte estrutura organizacional: órgãos de assistência direta e imediata ao presidente (Gabinete; Assessoria de Comunicação Social; Coordenação-Geral de Planejamento e Gestão Estratégica; Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação; e Centro de Formação e Aperfeiçoamento do Instituto Nacional do Seguro Social), órgãos seccionais (Procuradoria Federal Especializada; Auditoria-Geral; Corregedoria-Geral; Diretoria de Orçamento, Finanças e Logística; e Diretoria de Gestão de Pessoas), órgãos específicos singulares (Diretoria de Benefícios; Diretoria de Saúde do Trabalhador; e Diretoria de Atendimento) e unidades descentralizadas: (Superintendências-Regionais; Gerências-Executivas; Agências da Previdência Social; Procuradorias-Regionais; Procuradorias-Seccionais; Auditorias-Regionais; e Corregedorias-Regionais).

concursosconcursos publicosconcursos 2020provas anteriores

Comentários

Mais Lidas