MenuJC Concursos
Busca
Notícias | | Aulas Grátis | Provas anteriores | Simulados | Empregos | Brasil

Dívida do governo tem alta em janeiro e se mantém em R$ 5,6 trilhões

Déficit da dívida do governo faz Tesouro Nacional emitir títulos públicos para conseguir dinheiro com investidores e honrar os compromissos financeiros

Jean Albuquerque | redacao@jcconcursos.com.br
Publicado em 23/02/2022, às 19h28 - Atualizado às 19h29

Dívida do governo tem alta em janeiro e se mantém em R$ 5,6 trilhões
Dívida do governo tem alta em janeiro e se mantém em R$ 5,6 trilhões - Freepik
WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmail

A dívida do governo teve alta de 0,5% em janeiro e se manteve em R$ 5,6 trilhões, de acordo com informações divulgadas nesta quarta-feira (23) pela Secretaria do Tesouro Nacional, do Ministério da Economia. O endividamento passou de R$ 5,614 trilhões em dezembro para R$ 5,616 no mês passado. 

A previsão do Tesouro é que a Dívida continuará subindo, levando em consideração o Plano Anual de Financiamento (PAF), que foi apresentado também em janeiro. A previsão é de que o déficit encerre 2022 entre R$ 6 e R$ 6,4 trilhões.  

Neste sentido, a Dívida Pública Mobiliária (em títulos) interna (DPMFi) subiu 0,33%, passando de R$ 5,349 trilhões em dezembro para R$ 5,367 trilhões em janeiro. O Tesouro também resgatou no mesmo período, o montante de R$ 24,35 bilhões em títulos a mais do que emitiu, principalmente em papéis prefixados (com juros definidos com antecedência).

+ Governo prorroga lei sobre cancelamentos e remarcações de passagens aéreas

Alta da selic contribui para manter valores da dívida pública 

A alta da Selic, juros básicos da economia, continua subindo desde agosto do ano passado. Em janeiro, o Tesouro emitiu R$ 118,96 bilhões em títulos da DPMFi, com alta em relação a dezembro, quando as emissões tinham somado R$ 76,21 bilhões. No entanto, os resgates somaram R$ 143,3 bilhões, quase a totalidade em títulos prefixados, que costumam vencer no primeiro mês de cada trimestre.

Outro fator que contribuiu para a manter a dívida do governo foi a queda do dólar. Fazendo com que a Dívida Pública Federal externa (DPFe) caísse 5,77%, passando de R$ 267,41 bilhões em dezembro para R$ 266,3 bilhões em janeiro. 

Veja quem são os maiores detentores da dívida do governo; entenda 

Os maiores detentores da dívida do governo no mês de dezembro somam um montante considerável; veja lista: 

  • Instituições financeiras 29,45%
  • Fundos de investimento  23,97%
  • Fundos de Previdência 21,74%
  • Investidores estrangeiros 10,56%
  • Governo 4,39%
  • Seguradoras 3,88%
  • Outros 6,01%

Afinal, o que é feito com a dívida do governo? 

É por meio do déficit das contas públicas, que o Tesouro Nacional emite títulos públicos para conseguir dinheiro com investidores e honrar os compromissos financeiros. 

Em contrapartida, há o comprometimento de devolver ao longo de alguns anos, os recursos com algum rendimento. Nesses casos, a correção usada para as operações pode seguir a taxa Selic, quando o juros é o básico da economia, a inflação, o câmbio ou ser prefixada com antecedência. 

*Com informações da Agência Brasil 

+++ Acompanhe as principais informações sobre Sociedade e Brasil no JC Concursos

Siga o JC Concursos no Google News e acompanhe nossos destaquesSociedadeBrasil

Comentários

Voltar ao topo

+Mais Lidas

JC Concursos, o seu Jornal dos Concursos de sempre. Imparcial, independente, completo.