MenuJC Concursos
Busca
Notícias | | Aulas Grátis | Provas anteriores | Simulados | Empregos | Brasil

Real pode ser a “moeda da vez” no mercado global. Veja valorização em 2022

No mercado global, o real brasileiro pode ser a “moeda da vez” impulsionado pelas sanções econômicas que afetam a economia Russa. Veja valorização em 2022

Jean Albuquerque | redacao@jcconcursos.com.br
Publicado em 08/03/2022, às 20h16

No mercado global, o real brasileiro pode ser a “moeda da vez”
No mercado global, o real brasileiro pode ser a “moeda da vez” - Divulgação
WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmail

Diante do cenário de especulação do mercado global, o real pode ser a “moeda da vez”. Essas são as apostas dos especuladores que operam na bolsa de Chicago (CME), que bateu recorde na primeira semana de março, no momento em que a moeda passou a atrair novas compras em quatro semanas seguidas, obtendo um ritmo histórico. 

O destaque da moeda brasileira acontece por se manter como um potencial beneficiada do rali das commodities, dos juros elevados, bem como pelo entendimento de que parte do fluxo que anteriormente tinha como destino a Rússia, poderá ser destinado ao Brasil, já que ambos têm o tamanho do PIB similar.

+ Com valores de até R$ 1.000, novo saque do FGTS poderá ser feito na próxima semana

Especuladores turbinam apostas no real a patamar recorde em meio a queda livre do rublo

Os números levantados por especuladores da bolsa americana são da última semana de fevereiro, momento exato em que a Rússia iniciou a invasão contra a Ucrânia. O que ocasionou na queda livre do rublo, levando as divisas russas a mínimas recordes sequenciais. 

Diante deste cenário, o rublo sofreu a maior onda de vendas na CME em 17 meses. No entanto, o real conseguiu registar a maior compra líquida desde 1996, quando passaram a ser contabilizado esse tipo de registro. A moeda do Brasil também obteve alta de 9,5% em comparação ao dólar no acumulado do ano, conseguindo o melhor desempenho entre as moedas globais. 

Em relação à comparação dos termos líquidos, os especuladores do CME observaram 26.003 contratos futuros de real, que registraram o terceiro maior volume. Neste caso, os dados foram compilados pela agência de mercados futuros dos Estados Unidos, a CFTC. 

O real brasileiro é considerado a “moeda da vez” quando o estoque de apostas salta a 50.448, considerado também o maior desde a série histórica. Valor que é quase o dobro do recorde anterior, de 26.050 contratos, marcado na semana finda em 14 de fevereiro de 2017.

Queda do rublo provocado pela guerra na Ucrânia 

A guerra na Ucrânia e as sanções aplicadas ao governo russo ajudaram o rublo a obter queda livre, mediante diminuição já observada durante quatro semanas seguidas. No momento em que os especuladores se desfizeram em massa de contratos, a moeda russa despencou 25,2% sobre dólar no mercado interbancário. 

Fazendo uma comparação entre o período anterior à guerra e o início dos ataques, a moeda russa desvalorizou 50,5%. Diante da queda, foi observado uma maior procura pela compra do real, assim como outras moedas emergentes. 

* Com Reuters

+++Acompanhe as principais informações sobre Sociedade e Brasil no JC Concursos

Siga o JC Concursos no Google News e acompanhe nossos destaquesSociedadeBrasil

Comentários

Voltar ao topo

+Mais Lidas

JC Concursos, o seu Jornal dos Concursos de sempre. Imparcial, independente, completo.